Como precaver e combater a lagarta-do-cartucho

3 dicas de como precaver e combater a lagarta-do-cartucho

Na cultura do Milho, existem pragas que se manifestam com mais recorrência ou são exclusivas de determinadas regiões, mas não é o que acontece com a lagarta-do-cartucho. Essa praga ataca lavouras de milho em todo o Brasil e, atualmente, é a principal praga da cultura, com ocorrência tanto na safra quanto na safrinha.

A lagarta-do-cartucho se alimenta de diferentes partes da planta e provoca perdas significativas de produtividade. Por isso, é preciso fazer um manejo adequado, a fim de garantir o controle e o correto manejo fitossanitário dessa praga.

Algumas boas práticas precisam ser adotadas para o sucesso do manejo, e nós listamos, neste artigo, dicas para você garantir um bom controle da lagarta-do-cartucho. Continue lendo para aprender um pouco mais sobre essa praga e descobrir a maneira ideal de obter sucesso!

O que é a lagarta-do-cartucho?

A lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda), é classificada como uma espécie de inseto polífago, se alimentando da parte aérea de de diferentes tipos de cultura. Embora seja a principal praga das lavouras de milho no Brasil, essa lagarta também ataca cultivos como algodão, soja, sorgo, feijão, arroz e trigo, entre muitos outros.

O desenvolvimento da lagarta-do-cartucho se inicia na oviposição das fêmeas, que, após eclodir, dá origem à lagarta em si. Posteriormente, ela evolui para pupa e, finalmente, para mariposa, que é o indivíduo adulto. O inseto deposita seus ovos nas folhas da planta, dando início ao novo ciclo, que dura cerca de 30 dias, dependendo das condições climáticas.

Por que é importante mantê-la longe da lavoura?

Quando a lavoura é atacada pela lagarta-do-cartucho, o prejuízo do produtor pode ser de 30% a 50%. Isso se dá porque essa praga se alimenta de diferentes partes da planta.

Inicialmente, ele se aloja no cartucho do milho, dificultando o controle, pois o inseto fica protegido entre as lâminas das folhas. O problema é que ela se alimenta das folhas desde os estágios iniciais de desenvolvimento, através da raspagem. Depois, provoca perfurações na base da planta e, consequentemente, causa a morte da planta (o chamado “coração morto”).

Há registros de que a lagarta-do-cartucho traz prejuízos desde 1797, mas o primeiro grande surto aconteceu em 1899, nos Estados Unidos. Em 1964, houve um ataque nas lavouras do Brasil e, em 2019, o Mato Grosso enfrentou enormes desafios para o controle do inseto, com perdas de até 10 sacas por hectare.

Como realizar o controle da lagarta-do-cartucho?

É inegável que a lagarta-do-cartucho traz grandes prejuízos e que o agricultor enfrenta desafios para lidar com essa praga. Porém, boas práticas agrícolas no manejo fitossanitário garantem controles satisfatórios, evitando perdas de produtividade. Confira, a seguir, algumas dicas fundamentais para promover a proteção ideal da sua lavoura!

1. Faça o monitoramento contínuo

O monitoramento é o primeiro passo para conseguir controlar a lagarta-do-cartucho. É preciso conhecer a população e os danos que ela vem causando à lavoura para tomar as próximas decisões, em especial com relação à aplicação de inseticidas, a fim de evitar possíveis resistências.

Para se obter a eficácia esperada, o inseticida deve ser aplicado no momento correto, desde o nível populacional do inseto e o horário mais adequado para as pulverizações. Lembrando que, mesmo depois de aplicado o defensivo, é preciso continuar fazendo o monitoramento, para verificar se os insetos foram, de fato, controlados.

2. Use inseticidas adequados

As formulações dos inseticidas são muito diversificadas, porque há necessidade de controlar diferentes tipos de praga com variadas suscetibilidades. Sendo assim, no tratamento específico da lagarta-do-cartucho, é preciso escolher um produto que atenda exatamente a essa necessidade.

É importante que a solução seja versátil e possa ser utilizada em diferentes estágios da lavoura. Assim, opte por uma que ofereça ações de choque e residual, para alcançar eficácia imediata e em longo prazo. Essa característica, inclusive, possibilita minimizar a quantidade de aplicações, reduzindo os custos da produção.

Isso também é fundamental para evitar a possível resistência da praga. Afinal, quando as aplicações são muito frequentes, conseguimos eliminar alguns insetos, mas outros permanecem, porque são menos suscetíveis e passam essa informação genética adiante, ficando cada vez mais difícil controlar a população.

Avalie também a praticidade do produto que você vai aplicar. Algumas formulações são difíceis de trabalhar em função da necessidade de prepará-las ou porque causam o entupimento dos bicos dos equipamentos. Assim, dê preferência para os defensivos desenvolvidos com vistas a garantir maior produtividade e simplicidade para o dia a dia do produtor.

3. Realize o manejo integrado das pragas

Não podemos esquecer que o controle das pragas se inicia antes da semeadura, pois o campo precisa ser preparado para evitá-las. Assim, o manejo integrado deve ser adotado para tratar, também, as condições do ambiente.

O histórico de incidência da lagarta-do-cartucho na área é essencial para saber se é necessário fazer a retirada de restos culturais. Outra medida importante é a utilização de sementes devidamente tratadas e a escolha de espécies que sejam mais resistentes.

No manejo integrado de pragas, também podemos realizar o controle biológico preservando os inimigos naturais da lagarta-do-cartucho. Existe, ainda, a opção do controle comportamental, com a utilização de plantas repelentes e de armadilhas para captura de indivíduos adultos.

O controle químico também faz parte do manejo integrado de pragas. Ao adotá-lo, é fundamental preferir os produtos que são seletivos aos inimigos naturais. Dessa forma, reduzimos a população da lagarta-do-cartucho e mantemos as espécies que são aliadas nesse sentido e inofensivas para o cultivo.

Na hora de escolher o defensivo agrícola, prefira as marcas que colocam tecnologia em suas formulações. Isso garante a qualidade do produto, tornando as aplicações mais práticas e eficazes. Assim, você fará o controle da lagarta-do-cartucho a um custo menor, garantindo um plantio saudável para aumentar a produtividade e a qualidade da sua safra.

Essas informações foram úteis para você? Então, compartilhe o conteúdo em suas redes sociais, para que outros produtores também possam vencer o desafio de lidar com a lagarta-do-cartucho!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.