tecnologia na aplicação de defensivos

Boas Práticas Agrícolas: a importância do receituário agronômico na aplicação de defensivos

O receituário agronômico é uma Recomendação Agrícola fundamental para a produtividade e segurança das lavouras. Na realidade, ele é o primeiro passo para garantir uma aplicação de defensivos de forma responsável, já que deve ser emitido por um profissional habilitado.

Se você quer saber mais sobre esse documento e entender qual é o papel dele na garantia da correta proteção das lavouras e de quem aplica o produto, continue com a gente. No decorrer deste post, você entenderá melhor o que é o receituário agronômico, qual é a sua relação com o uso de defensivos agrícolas e por que é fundamental segui-lo à risca.

Vamos lá? Aproveite a leitura.

O que é receituário agronômico?

Como você já conferiu, o receituário agronômico é um documento que visa garantir as premissas do uso correto e seguro dos defensivos agrícolas. Ele é emitido por um profissional habilitado para fazer a prescrição do uso de produtos para a pulverização. Nele, estão todas as recomendações técnicas necessárias para garantir a segurança no uso:

  • a dosagem ideal;
  • a modalidade de aplicação;
  • o intervalo de segurança;
  • a quantidade do produto;
  • entre outras informações.

Essas informações são importantíssimas para guiar a aplicação de defensivos, desde a preparação do produto até o descarte final das embalagens, incluindo a proteção daqueles que manuseiam os componentes químicos presentes na formulação de defensivos agrícolas, já que podem ser tóxicos.

Na verdade, esse é um documento tão relevante que, sem ele, não é possível realizar a venda de defensivos agrícolas. Sua emissão é essencial para determinar que a aplicação do produto não afetará negativamente a cultura e, consequentemente, os produtos que vierem dela.

Para isso, é necessário realizar um diagnóstico detalhado com as quantidades e características devidas para cada tipo específico de lavoura.

Qual é a relação com a utilização de defensivos agrícolas?

O receituário agronômico é o primeiro passo na aplicação responsável de defensivos agrícolas. Seu objetivo é garantir que a tecnologia na aplicação de defensivos assegure o máximo desempenho do defensivo aplicado.

Com este documento em mãos, o produtor saberá exatamente qual produto usar, de que maneira aplicar, qual é a quantidade ideal, de que forma ele pode se proteger durante a aplicação e até mesmo como pode descartar as embalagens sem causar danos ambientais. Portanto, é algo bastante relevante para garantir segurança em todos os processos.

Além disso, é a partir desse documento que os órgãos e instituições podem controlar e supervisionar a venda dos defensivos agrícolas. Assim, é possível reduzir significativamente o uso indiscriminado dos produtos agrícolas de forma indevida.

Por que é fundamental seguir o receituário e as dosagens à risca?

Como você bem sabe, os defensivos agrícolas são produtos químicos que podem oferecer riscos à saúde, tanto de quem aplica quanto de quem consome seus resquícios. Por isso, um uso exagerado dessas substâncias pode prejudicar as pessoas e o meio ambiente.

Para garantir a segurança de todos, muitas análises são realizadas ao longo do ciclo de produção de um defensivo agrícola. É a partir delas que as dosagens seguras de utilização são determinadas. No entanto, só quem tem acesso a essas informações são os técnicos habilitados para realizar os diagnósticos nas lavouras e prescrever a aplicação mais adequada a cada situação.

É por isso que é importante contar com quem conhece do assunto. Do contrário, você pode tanto usar uma quantidade muito pequena de produto (o que não resolverá o seu problema) como sobrecarregar as plantas, espalhando substâncias pelo ar e solo, e fazendo com que seus resquícios cheguem à mesa dos consumidores.

Para se certificar de que isso não vai acontecer, existem três órgãos que dedicam sua atenção à fiscalização desses processos:

  • a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) — avalia e classifica o nível de toxicidade dos defensivos e seus componentes;
  • o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) — observa o potencial poluidor do fitossanitário;
  • o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) — avalia a eficiência do defensivo na agricultura.

Como você viu, as análises são realizadas sob diferentes perspectivas para garantir a comercialização de um defensivo eficiente e que não seja prejudicial para o meio no qual será utilizado. Isso ajuda a proporcionar um bom custo-benefício, um risco controlado à saúde, a indicação correta de aplicação, a praticidade do uso, a produtividade na agricultura e assim sucessivamente.

Sem um diagnóstico detalhado feito pelo profissional, é praticamente impossível ter uma ideia aproximada de qual é a necessidade e a demanda real de cada propriedade. Em outras palavras, é como se o agricultor precisasse dar chutes na lua para tentar acertar a formulação correta para solucionar seu problema.

Em geral, a recomendação é a de que o uso de defensivos agrícolas seja comedido e sempre com o máximo de segurança. Nesse caso, ela é proporcionada pela tecnologia na aplicação de defensivos, por meio do receituário agronômico.

Por fim, mas não menos importante, uma receita bem-elaborada serve como um documento de assistência técnica, o que garante que você não enfrentará problemas com os órgãos fiscalizadores, com o meio ambiente ou mesmo com a sua saúde. Isso também vale para os consumidores finais e com os seus funcionários que entram em contato com o produto.

Esse documento regula, inclusive, o descarte de resíduos e embalagens, bem como a necessidade da utilização de EPIs. Logo, nenhuma das suas partes deve ser ignorada, mesmo aquelas que não têm a ver com a aplicação e os efeitos do defensivo em si.

Pode parecer apenas mais uma formalidade e uma forma de controlar a venda de defensivos agrícolas, mas a tecnologia na aplicação de defensivos é indispensável para garantir a segurança de todos. Além disso, é claro que ela ajuda a reduzir o desperdício de produto na sua lavoura, o que contribui para a contenção de gastos desnecessários.

Se você gostou deste conteúdo sobre tecnologia na aplicação de defensivos, agora chegou a sua vez de contribuir. Conte para a gente nos comentários como você faz para garantir a segurança da sua lavoura e dos seus funcionários na aplicação de agroquímico!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.