dessecação pré-plantio soja

Dessecação em pré-plantio da soja: saiba tudo sobre o assunto

O controle de plantas daninhas é um desafio constante para os produtores. Espécies invasoras competem com as plantas por água, luz e nutrientes, prejudicando o seu desenvolvimento. Por isso, é preciso fazer uma dessecação eficiente no pré-plantio da soja.

Com esse manejo, a semeadura é feita sem a presença das plantas daninhas, iniciando o plantio no limpo. Com isso, a tendência é alcançar uma safra mais produtiva, livre da matocompetição e com condições adequadas para as plantas se desenvolverem.

Neste artigo você vai entender a importância da dessecação pré-plantio e conferir dicas para adotar essa prática de uma forma eficiente. Acompanhe!

Qual a importância da safra de soja brasileira?

Antes de falarmos sobre a dessecação pré-semeadura da soja, é interessante reforçar a importância dessa cultura. Hoje, o Brasil se configura como o maior produtor mundial desta leguminosa!

Na safra 2020/21 a área plantada no Brasil alcançou mais de 38 milhões de hectares, com produção de mais de 135 milhões de toneladas. A produtividade por hectare atingiu 3.517 kg. Mas os números positivos não eliminam os desafios frequentemente enfrentados pelos produtores, que exigem a adoção de novas práticas em função das incertezas no regime de chuvas e problemas fitossanitários ao longo da safra.

A produção de soja é fundamental para a economia brasileira. Ela é o principal produto de exportação do Brasil, sendo que cerca de 70% dos grãos produzidos aqui são enviados para fora do país. Mas, para manter esse desempenho, além dos desafios econômicos, o agricultor precisa vencer os desafios no dia a dia, como o controle de plantas daninhas.

Quais os principais desafios enfrentados pelo produtor de soja no controle de plantas daninhas?

Safra após safra, os produtores têm intensificado a produção de grãos e, ao mesmo tempo, vem sofrendo com o atraso das chuvas ou chuvas irregulares. Isso faz com que as janelas de plantio de cada cultura fiquem menores, ou seja, há um período cada vez mais curto entre o controle de plantas daninhas e a semeadura dos grãos. Diante disso, a escolha por herbicidas que são capazes de controlar diferentes plantas daninhas e otimizar a janela de plantio de soja se torna fundamental.

Para completar, o glifosato, herbicida mais utilizado no mundo, apresenta diversos casos de resistência em plantas daninhas, além de estar em falta no mercado mundial. Assim, surgiu mais um desafio para o produtor fazer o controle de plantas daninhas, inclusive na dessecação pré-plantio da soja.

E não podemos esquecer que as altas temperaturas, assim como a baixa quantidade de chuvas, causam incertezas com relação ao início do plantio. Assim, é preciso que as condições climáticas estejam ideais para adiantarmos o plantio da nova safra de soja.

Mas não só isso, pois o clima também influencia no controle de plantas daninhas da área. Afinal, a aplicação de herbicidas em plantas daninhas sob condições de estresse dificulta o controle.

Como fazer uma boa dessecação na pré-semeadura de soja?

A presença de plantas daninhas na semeadura é um grande problema por causa da competição entre espécies. As invasoras precisam de água, luz e nutrientes, e competem com a soja, prejudicando o seu crescimento, desenvolvimento e produtividade.

Portanto, fazer a dessecação pré-plantio é uma etapa indispensável para que a semeadura ocorra na área limpa, evitando essa competição. Existem algumas boas práticas que precisam ser observadas na hora de fazer a dessecação pré-plantio da soja para alcançar a máxima eficiência. Veja a seguir.

Realizar a dessecação no momento certo

A tolerância de convívio da soja com plantas daninhas é de poucos dias, por isso, é importante que a área esteja limpa. Entretanto, não podemos fazer a dessecação muito cedo ou muito tarde porque é preciso garantir o controle de um novo fluxo de invasoras.

O ideal é que o planejamento para manejo de dessecação pré-plantio da soja seja realizado com antecedência para definir a melhor estratégia de manejo para cada situação. A escolha por herbicidas que controlem as principais plantas daninhas e não tenham efeito residual na cultura é imprescindível.

Controlar de forma eficiente as plantas daninhas

Plantas daninhas de diferentes espécies precisam ser controladas ainda pequenas. Plantas menores são mais fáceis de controlar. Além disso, a aplicação precisa ser uniforme e na dose certa, para não oferecer condições para uma nova infestação.

Logo, é preciso ter bastante atenção com o tamanho das espécies invasoras. O manejo varia de acordo com o estádio em que elas se encontram, e mesmo a escolha do herbicida precisa ser baseada nisso, para garantir a eficiência.

Utilizar herbicidas que não tenham efeito residual para a cultura (plantback)

O uso de herbicidas para dessecação pré-plantio também pode trazer prejuízos para a soja, mas apenas se você não escolher um herbicida que Adianta.

O ideal é optar por produtos que não tenham ação residual sobre a cultura para não atrapalhar o desenvolvimento das plantas, o que é chamado de fitotoxicidade.

Quais são as principais plantas daninhas a serem controladas nesta época?

Existem várias espécies daninhas que podem atrapalhar a lavoura e precisam ser controladas na dessecação pré-plantio da soja. Algumas são consideradas como principais nessa época do ano, são elas o capim-amargoso (Digitaria insularis), o capim pé-de-galinha (Eleusine indica) e a buva (Conyza spp). Veja mais informações sobre elas nos tópicos abaixo.

Capim-amargoso

É uma das espécies mais preocupantes por causa dos altos prejuízos que provoca para a produtividade da soja. Causa perdas significativas na lavoura, mesmo em baixas densidades populacionais no campo. Uma única planta de capim-amargoso por metro quadrado pode causar mais de 20% de redução na produtividade da cultura. Além disso, seu manejo é desafiador por apresentar resistência ao glifosato. 

Capim pé-de-galinha

Espécie típica das épocas mais quentes do ano. Consegue se adaptar bem até mesmo em solos compactados e já foram registrados alguns casos de resistência, tanto ao glifosato quanto a outros princípios ativos. Por isso, requer um herbicida que Adianta mesmo.

Buva

Durante muito tempo, essa foi uma espécie preocupante apenas no Sul do Brasil, mas agora está avançando também para o Cerrado. Tem grande capacidade de disseminação, pois uma única planta pode produzir mais de 200 mil sementes, e a dispersão pelo vento pode alcançar 100 m da planta mãe. Seu controle requer o uso de um herbicida que Adianta, porque mesmo a baixa incidência é capaz de causar perdas significativas na produtividade. Uma única planta por metro quadrado pode reduzir a produtividade de grãos de soja em até 14%!

Por que contar com um herbicida de amplo espectro para a dessecação?

Diante desse cenário desafiador, o produtor precisa contar com um herbicida que Adianta para fazer a dessecação pré-plantio da soja. O ideal é que a formulação seja capaz de controlar folhas largas e gramíneas.

Lembrando que não são todos os herbicidas que apresentam boa eficiência em diferentes plantas daninhas. Então, é fundamental escolher o herbicida adequado para promover um bom controle de plantas daninhas e garantir a produtividade da cultura da soja.

Escolher um herbicida que Adianta, com eficiência no controle de várias espécies, contribui com a melhor performance no manejo da lavoura. Contar com ferramentas eficazes é fundamental para otimizar o tempo e adiantar as operações, alcançando um ótimo desempenho na safra.

Araddo é um aliado do produtor porque sua formulação contém um diferencial que faz com que seja um herbicida que Adianta. Combina ingredientes ativos que garantem segurança no plantio da soja logo após a aplicação.

Não há restrições de intervalo para fazer a dessecação e a semeadura da soja, promovendo um ganho de tempo importante. Além disso, Araddo não tem antagonismo entre os ingredientes ativos, assim, controla gramíneas e folhas largas em uma mesma aplicação, reduzindo custos operacionais.

Como essas dicas podem ser úteis?

Controlar plantas daninhas no momento certo faz toda a diferença para que a semeadura da soja seja um sucesso. Com essas dicas você fará a dessecação pré-plantio com as melhores técnicas, garantindo uma boa produtividade.

Usando um herbicida de amplo espectro há uma economia significativa de tempo e de custos para alcançar um melhor desempenho na propriedade. Araddo, da ADAMA, é o herbicida que Adianta porque além de ter amplo espectro de ação, não deixa residual no solo, evitando prejuízos no estabelecimento da soja.

A dessecação pré-plantio da soja é uma técnica fundamental para que a lavoura tenha um bom desenvolvimento e produtividade. Conte com soluções eficazes como Araddo, da ADAMA, o herbicida que Adianta, para que esse controle seja eficiente e menos custoso.

Como o manejo de plantas daninhas é um tema importante, confira mais algumas informações sobre como fazer o controle utilizando diferentes práticas.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Ao clicar "receber conteúdo", você concorda em receber informações sobre produtos e serviços ADAMA Brasil S/A. Você pode descadastrar-se a qualquer momento. Por Favor, leia nossa Política de Privacidade


Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.