broca do café

4 dicas para prevenir e combater a broca do café

Diversas pragas podem afetar diferentes tipos de cultura, mas existem algumas que são mais difíceis de controlar e, por isso, consideradas como as principais em cada cultivo. No caso dos cafeicultores, o grande desafio é fazer o devido controle da broca do café.

Esse inseto provoca sérios prejuízos para os frutos, minimizando a sua densidade e qualidade. Com isso, eles recebem classificações muito baixas no mercado e reduzem os ganhos do produtor. Além desse problema, temos o fato de que a broca consegue sobreviver de uma safra para outra.

O manejo adequado é fundamental para fazer o controle da população da broca do café, então preparamos este artigo para trazer algumas dicas de como prevenir e tratar a lavoura para evitar perdas. Continue lendo para saber mais!

O que é a broca do café?

Acredita-se que a broca do café tenha chegado ao Brasil em 1913 por meio de sementes importadas da Ilha de Java e da África. Em 1924 as lavouras brasileiras começaram a apresentar os seus primeiros frutos brocados e, desde então, essa praga se tornou um grande desafio para os cafeicultores.

A broca do café (Hypothenemus hampei) é uma espécie de besouro que ataca especificamente os frutos. As fêmeas que acasalam fazem uma perfuração na coroa do grão para depositar em seu interior os ovos que darão origem às larvas, e são elas que provocam os danos, ao se alimentar dos grãos.

Os machos permanecem durante toda a sua vida dentro do grão, copulam com as fêmeas e elas realizam o primeiro ataque à lavoura, cerca de 80 a 90 dias após a floração da planta. Nesse momento em que o fruto ainda está verde, ela faz uma marcação, e cinquenta dias depois retorna para depositar os ovos.

O período larval dura cerca de 15 dias, tempo suficiente para a praga destruir parte ou a totalidade do grão. Entretanto, a fêmea da broca do café pode viver até 156 dias. Como os insetos permanecem praticamente toda a vida dentro do fruto, eles continuam na lavoura de uma safra para a outra.

Por que você deve mantê-la longe da lavoura?

Como explicamos, as larvas da broca do café danificam ou destroem totalmente os grãos. Quando eles não caem da planta, podem perder cerca de 20% do seu peso, e isso provoca uma queda significativa da qualidade do produto, depreciando-o no mercado.

Com isso, o cafeicultor terá uma classificação muito baixa para os grãos que produzir, recebendo um valor menor por eles. Sem falar que existe um limite de tolerância para exportação, sendo no máximo 10% de grãos brocados.

Não bastassem esses prejuízos, quando a broca do café perfura o fruto ele fica mais suscetível ao ataque de outros microrganismos. Assim, a planta pode desenvolver doenças como resultado indireto da ação dessa praga, tornando o manejo da lavoura ainda mais complexo.

Como controlar e prevenir essa praga?

Embora a broca do café seja uma praga muito desafiadora, não é impossível manter a lavoura livre da presença desse inseto. Com as estratégias corretas aplicadas no momento certo, é possível controlar a população de besouros, evitando sua incidência recorrente entre as safras.

Confira, a seguir, algumas dicas de manejo inteligente para fazer o devido controle e prevenção na lavoura.

1. Utilize defensivos agrícolas

Os defensivos agrícolas são grandes aliados no controle da broca do café. Apesar dos problemas enfrentados pelos cafeicultores há alguns anos com a proibição de substâncias, atualmente existem formulações muito eficazes e seguras para manejo da lavoura.

São utilizados inseticidas para fazer o tratamento, com o objetivo de controlar a população dos indivíduos adultos para que não haja novas perfurações nos frutos verdes. Desse modo, evita-se a postura dos ovos e o ciclo de reprodução é quebrado.

É verdade que existem técnicas e alternativas, como controle biológico e a preparação de armadilhas para minimizar a população da broca. Entretanto, os defensivos ainda são fundamentais por terem uma ação mais efetiva e agirem no momento certo.

2. Adote o manejo integrado de pragas

Para tomar as melhores decisões na hora de proteger a lavoura, é preciso conhecer exatamente as necessidades dela. O manejo integrado de pragas visa atitudes mais estratégicas por meio da identificação correta das espécies e do monitoramento, fazendo a avaliação da necessidade de controle.

Dessa forma, é possível agir no momento certo sem o uso excessivo de defensivos. Além disso, o cuidado com a lavoura é prolongado, uma vez que esse monitoramento é realizado mesmo depois da primeira aplicação do remédio, seguindo a cada 30 dias para fazer outra aplicação apenas se for preciso.

Nessa abordagem, também existem alternativas para a realização do controle biológico, como preservar a vespa-de-uganda, um predador da broca do café que ajuda a controlar a população de uma forma natural. Daí a importância de adotar um produto que não seja agressivo para essas espécies aliadas.

3. Faça a retirada de frutos da colheita anterior

Como explicamos, a broca do café pode permanecer na lavoura, trazendo prejuízos nas próximas safras. Os insetos se mantêm nos grãos, que continuam na planta, e também naqueles que estiverem caídos no chão.

Sendo assim, o controle dessa praga se inicia na colheita. Quando ela é mecanizada, é preciso que seja feita uma ação manual posterior, para ter certeza de que todos os grãos foram recolhidos e evitar que o inseto permaneça no campo.

4. Utilize produtos de qualidade no mercado

Prefira produtos que ofereçam uma proteção mais ampla para a lavoura, como aqueles que apresentam mais de um modo de ação, sendo, por exemplo, choque e residual. Além disso, é importante que a combinação de moléculas possibilite fazer o manejo de resistência.

É fundamental utilizar produtos de empresas com credibilidade no mercado para ter certeza de que todas as normas da Vigilância Sanitária são seguidas desde a escolha da formulação. E não se esqueça de que deve haver preocupação com o trabalho do produtor, com formulações que tragam praticidade durante a aplicação e que não elevem o custo da produção.

O cafeicultor precisa estar constantemente monitorando a sua lavoura para identificar a presença da broca do café e definir o momento certo de realizar intervenções. Atualmente, ele tem o suporte da tecnologia e formulações modernas para tornar esse processo simplificado, garantindo uma boa produtividade com a sua cultura e a qualidade do produto final.

Gostou do artigo? Então, compartilhe essas informações em suas redes sociais e ajude a divulgar dicas interessantes e úteis como essas!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.