atraso do plantio

Atraso do plantio: descubra as consequências disso e como evitar!

Cada tipo de cultivo apresenta desenvolvimento melhor em uma determinada época do ano. É por isso que existe o momento certo para fazer a semeadura. Quando ocorre um atraso do plantio, o produtor corre o risco de ter prejuízos com sua lavoura.

Como diferentes problemas podem levar a esse atraso, é importante estruturar muito bem a propriedade e se planejar de acordo com o cultivo que será semeado. Dessa maneira, é possível evitar o atraso da semeadura seguinte e quedas na produtividade.

Preparamos este artigo para explicar quais são os principais fatores que levam a essa situação na hora de plantar, a importância de não deixar que isso aconteça, os impactos negativos quando o plantio atrasa e o que pode ser feito para evitar tudo isso. Continue lendo!

O que causa o atraso no plantio?

Atenção à meteorologia, uma boa gestão da propriedade e o planejamento são aspectos indispensáveis para evitar o atraso do plantio. Entenda melhor conferindo, a seguir, quais fatores acarretam esse problema.

Condições climáticas

O sucesso da atividade agrícola depende muito das condições do clima, já que ele interfere em todas as decisões tomadas pelo produtor, desde a preparação do solo até a colheita.

O atraso do plantio pode ser decorrente da falta de precipitações, porque, quando o solo está seco demais, não é recomendado fazer a semeadura. Afinal, as sementes podem morrer, ou a escassez de umidade para a plântula leva a um déficit em seu desenvolvimento e queda da produtividade.

Entretanto, a situação contrária também não é favorável para o produtor. Quando há chuvas demais, o solo fica encharcado, o que prejudica a movimentação dos tratores na lavoura, além de comprometer a germinação.

Falta de estrutura da propriedade

O responsável pela gestão da propriedade precisa estar atento à estrutura dela, a fim de não sofrer com o atraso do plantio. Assim, mesmo antes da data planejada para o seu início, é fundamental que tudo esteja pronto.

Descobrir em cima da hora que um trator não está operando, que os implementos precisam de manutenção ou que há falta de mão de obra pode levar à paralisação das operações, muitas vezes, por prazo indeterminado. Consequentemente, o produtor perde a janela da semeadura.

Escassez de materiais

Existem, por fim, fatores que fogem ao controle do produtor, como aqueles relacionados ao mercado. Pode haver, por exemplo, escassez de insumos para preparação do solo, fertilizantes, sementes, defensivos e, até mesmo, dos materiais que são utilizados para fazer a manutenção do maquinário.

Todos esses problemas podem ser decorrentes de uma logística ineficiente por parte dos fornecedores ou, mesmo, da carência desses itens no mercado de um modo geral. Assim, a procura se torna maior do que a demanda.

Por que é importante evitar o atraso do plantio?

Os produtores brasileiros geralmente conseguem fazer a colheita de duas ou três safras, número que varia dependendo da espécie cultivada. Cada uma delas tem o seu momento ideal para ser semeada, e esse é um dos motivos para evitar o atraso do plantio.

Quando uma safra não segue o cronograma ideal, o desenvolvimento total das plantas demora mais do que o esperado. Com isso, haverá um atraso também na próxima, e, como existe a dependência das condições climáticas, as safras seguintes podem ser ainda mais prejudicadas.

Assim, haverá um comprometimento da produtividade da lavoura, uma vez que as plantas não conseguirão aproveitar o momento mais adequado para o seu desenvolvimento. A produção por hectare pode ser menor, acarretando prejuízos para o produtor.

Quais as consequências do atraso do plantio?

O desenvolvimento inadequado das plantas é uma das principais consequências negativas do atraso do plantio, com risco de queda significativa da produtividade. Porém, também existem outros impactos que comprometem o trabalho do produtor, como você vê a seguir.

Problemas fitossanitários

Uma das complicações é com relação ao controle de pragas e doenças. Isso, porque, geralmente, elas têm um período de maior incidência, quando começam a atingir a lavoura. Nesse momento, as plantas devem estar na fase adequada de desenvolvimento para não sofrer pela aplicação dos defensivos.

Quando há atraso do plantio, a cultura pode estar em um estágio muito precoce, aumentando sua suscetibilidade a essas pragas e doenças e prejudicando a eficiência dos produtos. Assim, devido ao comprometimento da produtividade, há o risco de perdas elevadas.

Prejuízos de planejamento

Como explicamos, no Brasil, é possível colher até três safras em um ciclo, e cada uma delas requer um planejamento. Ainda, vimos como pode haver um efeito dominó quando ocorre o atraso do plantio, atrapalhando os planos para as seguintes.

Além disso, as condições climáticas influenciam as decisões do produtor, e o atraso gerará uma dificuldade maior para planejar a próxima semeadura, a fertilização, a aplicação de defensivos e a colheita, já que tudo isso acontecerá em períodos diferentes do esperado.

Redução do lucro

Diversos fatores podem reduzir o lucro do produtor quando ele tem um atraso do plantio — a começar pela dificuldade em fazer o controle fitossanitário, conforme explicamos, aumentando a quantidade de aplicações de defensivos.

Porém, como as plantas podem apresentar um desenvolvimento ruim, a sua produtividade é colocada em risco. Uma menor quantidade de toneladas produzidas por hectare gera um ganho reduzido, o que, em alguns casos, leva a prejuízos para a propriedade.

Como evitar o atraso do plantio?

Apesar de todos os impactos negativos do atraso do plantio, a boa notícia é que isso pode ser evitado. O uso da tecnologia é uma excelente estratégia, pois ela pode ser aplicada em diferentes frentes na propriedade rural.

Com esses recursos, o produtor pode adotar um sistema que fará o controle de todo o estoque, a fim de administrar suas finanças, os insumos, a manutenção das máquinas e, até mesmo, a mão de obra que será utilizada. Então, ele tem a oportunidade de organizar manutenções, aquisições, contratações etc. de uma forma antecipada.

A tecnologia ajuda a monitorar o clima, para que o produtor esteja atento a precipitações, mudanças climáticas, incidência de ventos e umidade do ar, entre diversas outras situações que também impactam as atividades na propriedade.

Sem falar que existem ferramentas para monitorar a lavoura com relação a: desenvolvimento das plantas, falhas no campo, incidência de pragas, doenças e áreas com estresse hídrico, por exemplo. Assim, é possível realizar intervenções localizadas e no momento certo para otimizar as atividades e os custos.

Tudo isso vai levar a mais uma estratégia fundamental para evitar o atraso do plantio, que é o planejamento. Com ele, consegue-se afastar os imprevistos que interferem na semeadura e encontrar alternativas rapidamente, caso o atraso aconteça.

É o que ocorre, por exemplo, na escolha de uma cultura que seja mais precoce, justamente com o objetivo de compensar o tempo que foi perdido. Dessa forma, o calendário é ajustado mais uma vez, e a próxima cultura pode acontecer no momento certo.

Como isso pode ajudar a manter uma boa produtividade?

Você percebeu que as dicas que deixamos no tópico anterior não só ajudam a evitar o atraso do plantio, como favorecem a produtividade da lavoura? Elas permitem ao produtor tomar decisões mais inteligentes e estratégicas, adequando-as ao momento que a propriedade está vivendo.

Mas não é só isso, porque, ao monitorar a incidência de ventos, por exemplo, é possível escolher o melhor momento ou a melhor forma de fazer as pulverizações. Conhecendo exatamente o tipo de praga que está incidindo na lavoura, o produtor tem a chance de aplicar o defensivo exato no momento mais propício.

Por esses e outros motivos, as plantas alcançam um bom desenvolvimento e conseguem atingir o seu pico de produtividade, gerando uma safra rentável. E não só pelo grande volume, mas, também, pela qualidade que o mercado exige, valorizando ainda mais o produto.

O ideal é adotar todas as ferramentas e recursos necessários para evitar o atraso do plantio, mas, ainda assim, em algum momento, ele pode acontecer. Nesse caso, o produtor pode recorrer a outras estratégias para recuperar o tempo perdido, garantir uma boa produtividade e o seu lucro — como a escolha de uma cultura mais precoce e de desenvolvimento mais rápido.

Gostou deste conteúdo? Assine a nossa newsletter e receba mais produções da ADAMA no seu e-mail!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.