acidentes com escorpião

Acidentes com escorpião: veja os riscos e como evitá-los!

Os acidentes com escorpião estão se tornando cada vez mais comuns no meio urbano. Isso se dá em função da maior presença desses animais nas cidades, muito perto dos seres humanos. Existe uma explicação para esse fenômeno, e uma parte da responsabilidade é das próprias pessoas.

Os mais impactados por esses acidentes, que podem levar a óbito, são crianças e idosos. Por isso, é fundamental que você saiba o que aumenta o risco e o que pode ser feito para evitar o contato.

Como esse é um assunto muito importante, conversamos com Frederico Grigoletto, Coordenador de Produtos da ADAMA, para que ele contribuísse para a produção deste artigo. Continue lendo para ver as explicações do especialista sobre acidentes com escorpião, o que leva a essas ocorrências, quais cuidados devem ser tomados e como o inseticida Cyzmic CS promove proteção.

Quais são os principais acidentes com escorpião no meio urbano?

De acordo com Frederico, os acidentes com escorpião ocorrem em função da picada desse animal. No meio urbano, ele tem contato com seres humanos quando se esconde em quintais, dentro das casas e outras áreas, que utiliza para sua alimentação, abrigo e reprodução.

Esse tipo de ocorrência tem se tornado cada vez mais comum. Em apenas 10 anos, entre 2008 e 2018, a quantidade de acidentes com escorpião quadruplicou no Brasil, passando de 40.287 para 156.833. Em 2020, só no Distrito Federal, os acidentes com animais peçonhentos somaram 1.818 casos; desses, 1.375 envolveram escorpiões.

“O escorpião entra em uma residência para se esconder dentro de um armário, nos sapatos… às vezes, é nesses momentos que ocorrem os acidentes”, explica o especialista da ADAMA.

Quais riscos estão associados a acidentes com escorpião no meio urbano?

Considerando os dados entre os anos de 2008 e 2018, a média de brasileiros picados por dia por escorpiões foi de 429 pessoas. Foram 99 mortes registradas em 2018 em decorrência desses acidentes, sendo que o óbito é o maior risco oferecido.

“Vemos que as crianças e os idosos geralmente são mais frágeis em relação a esses episódios”, alerta Federico, mas isso não significa que a picada seja inofensiva para as demais pessoas.

Além da dor intensa e do formigamento no local da picada, o quadro pode se tornar grave, desencadeando:

  • náuseas e vômitos;
  • agitação;
  • tremores;
  • salivação;
  • transpiração intensa;
  • elevação da pressão arterial;
  • aumento da frequência cardíaca;
  • dificuldade para respirar;
  • confusão mental.

Por isso, para tratar a intoxicação provocada pelo veneno do escorpião, é preciso procurar atendimento médico.

Que tipo de hábito leva a esses acidentes?

Frederico conta que, antes, os escorpiões viviam em um determinado hábitat, mas que, em função da escassez de alimento ou áreas para se abrigar, passaram a se sentir desconfortáveis nesses espaços. Assim, buscaram outros lugares para suprir suas necessidades.

Eles encontraram no meio urbano o ambiente ideal, por causa da alta oferta de esconderijos e porque conseguem encontrar com facilidade o alimento de que necessitam. Esses aracnídeos se alimentam de diferentes tipos de insetos, mas têm preferência pelas baratas.

“Temos visto que existe uma correlação grande entre áreas com alta infestação de escorpião e com oferta abundante de alimentos. No caso do meio urbano, uma das ofertas mais generosas que existe são as baratas de esgoto”, Frederico esclarece.

Como dito, os acidentes com escorpião também acontecem porque eles procuram abrigo, que, muitas vezes, pode ser o quintal ou dentro das casas. Esse animais podem viver embaixo de telhas, onde há entulhos, madeira acumulada, em forros, lajes e outros lugares que possam servir como toca.

Sendo assim, o hábito de acumular materiais e objetos favorece a infestação por escorpiões. Além disso, desorganização e limpeza inadequada contribuem para que esse animal fique próximo dos seres humanos.

Como prevenir os acidentes com escorpião?

O especialista da ADAMA explica que as pessoas também têm certa responsabilidade nos acidentes com escorpião, mas que, ao mesmo tempo, podem contribuir para reduzir a ocorrência dos casos. Afinal, como você viu, é preciso manter os lugares limpos e organizados para que deixem de ser ambientes atrativos para esses animais.

Como a presença deles está relacionada à oferta de alimentos, principalmente a barata, é importante evitar a presença delas. Para isso, o ideal é ter cuidado com o modo como o lixo é armazenado e colocar proteções em ralos, para garantir que não venham do esgoto para dentro de casa.

Frederico ainda alerta: “Se começar a perceber o aumento da incidência, o ideal é chamar uma empresa de controle de pragas regularizada para fazer a proteção da casa, ou seja, para eliminar as infestações existentes. Também deve-se usar técnicas e produtos que possam diminuir a chance de novas infestações, fazendo uma barreira ao redor da residência”.

Como o uso de Cyzmic CS pode ser útil?

“Quando você pensa em uma proteção fixa contra escorpião, é importante que conte com uma substância altamente eficaz”. Esse é um esclarecimento importante do especialista da ADAMA, uma vez que existem diferentes formulações para controlar a infestação desses animais.

Um detalhe que precisa ser reforçado é que há linhas distintas de inseticidas. No comércio, ocorre a venda livre de produtos para uso doméstico, como aqueles em spray; porém, há substâncias indicadas para uso profissional, com uma ação mais ampla e duradoura.

Esse é o caso do Cyzmic CS, da ADAMA. Esse defensivo foi desenvolvido para fazer o controle de infestações de escorpião e insetos diversos, mas destinado ao uso exclusivo de empresas especializadas no combate de pragas.

“O Cyzmic CS tem como principal característica uma ação rápida sobre o escorpião. Ele tem um efeito residual prolongado, ou seja, a capacidade de, no ambiente, mesmo em sol e chuva, durar mais tempo do que os inseticidas convencionais, que seriam os não encapsulados”, explica Frederico.

Assim, o Cyzmic CS age rápido e, ao mesmo tempo, mantém a proteção por vários dias depois da aplicação. Suas moléculas resistem bastante à degradação provocada pelas intempéries, mas, ainda assim, é importante entender que nenhum inseticida tem ação perpétua. Por isso, Frederico alerta sobre a importância de fazer o manejo integrado de pragas.

Essa técnica é a mesma utilizada em lavouras para fazer o controle de lagartas, doenças e outras ameaças. No caso do escorpião em meio urbano, consiste na adoção de uma série de ações para que o espaço ocupado pelo ser humano não seja interessante para esse animal.

Segundo Frederico, um exemplo é a colaboração dos proprietários das residências para manter casas e quintais sempre limpos e organizados, além de reduzir a população de baratas. Assim, como o escorpião não encontrará alimento, terá que buscar outros espaços. Aqui, o ideal é entender que o inseticida é um aliado, não a única solução.

É preciso olhar com cautela para os acidentes com escorpião, uma vez que podem levar a complicações graves e até óbito. Limpeza e organização, além de evitar a proliferação das baratas, são a primeira medida. Aliando isso à proteção promovida pelos inseticidas, a chance de que novos casos aconteçam será muito reduzida.

Para saber mais sobre o Cyzmic CS e outros produtos da linha ADAMA, entre em contato com a nossa equipe!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.